Ocorreu um erro neste gadget

O dar de ombros

sábado, 5 de setembro de 2009
"Me fale algo que eu ainda não sei. Me diga que o mundo mudou e que tudo está a ser diferente. Que as pessoas passaram a ser ecologicamente corretas e passaram a se respeitar como se faz em um mundo civilizado. Me diga que as pessoas pararam de se comportar como descendentes de primatas. Me diga que os homens pararam de ser machistas e começaram a pensar nas mulheres como criaturas que devem respeitar e que podem fazê-los felizes e não como bonecas. Faça-me acreditar que tudo isso é verdade."

Não você não vai me fazer acreditar em tudo isso apenas porque é uma realidade muito distante. Eu tento não pensar nesse tipo de coisas e até ser um pouco hipócrita, mas é impossível. Pois ta tudo ao nosso redor, tudo ai na nossa cara. Para ser visto. Para ser pensado. Os rastros, as provas. A vergonha.

Nota-se que não tem um pingo de tom patriótico na minha voz, nas minhas letras, no meu coração. E que mania que eu tenho de tentar mudar o mundo apenas com a minha voz. Ela se perde no meio da multidão e acaba se tornando apenas um sussurro. E olha que quase fiquei rouca de tanto gritar.

Mas mesmo assim eu ainda não cansei de tentar mudar o meio em que eu vivo. A escola. A casa. A rua. Ainda há esperança {pelo menos eu espero que haja}. A ignorância é tão irritante. Mas mais irritante que a ignorância é o dar de de ombros.

Faça o que quiser, não ligo. Não ligo se estou agindo como um estúpido que destrói o próprio meio onde vive. Como o cachorro que come a própria merda, e que destrói o cobertor que o protege à noite. Não ligo se tudo que faço é errado do ponto de vista ético, é muito mais difícil me politizar. Prefiro ser um porco mal educado, dá menos trabalho, menos esforço. Porque não vou perder meu tempo guardando papéis de bala nos bolsos enquanto todo mundo os joga no chão. Não ligo para o que pensam de mim, e nem para o que eu represento para a sociedade. Não dou a mínima para quem vou ser e o que vou fazer, só quero fuder muito e ganhar muito dinheiro.

1 comentários:

  1. Jaderson disse...:

    Isso pode resumir uma parte do seu coração ou não.
    Isso pode ser impulso ou fé.
    Isso pode aconter ou não.
    Mas eu sei de uma coisa conhecendo voce como eu conheço, mesmo te vendo alguns instantes no mes ou no ano, mesmo se eu fosse o Superman eu confiaria minha vida a voce no ultimo suspiro de vida da humanidade.

RÁ. Te peguei